Informação!

Observe ao lado direito, abaixo da área do membro, as categorias em que os textos estão organizados.

A Área do Membro pode ser observada ao lado direito, abaixo da caixa de pesquisa. Utilize livremente.

Abaixo dessa mensagem de informação, poderá ler os textos.

Torne-se um colaborador/ colunista fixo do IDCMEE! Saiba mais clicando aqui!

Não esqueça de visitar a Comunidade Consciência Astral/ IDCMEE/ TE, um espaço de convívio espiritual interativo.

Registre-se na nossa comunidade! Faça parte do Templo dos Espíritos!

Saiba mais sobre ser um membro registrado.

Obrigado pela sua atenção.

IDCMEE.

domingo, 2 de agosto de 2009

Sombras Astralinas: Formas-Pensamento

Os Assediadores inteligentes, Nós e Eles...

Namastê!
O IDCMEE reuniu algumas informações sobre os seres vampíricos do reino das sombras através da leitura do excelente livro de Robson Pinheiro "Legião" (Leitura Recomendada).

Pronto para entrar nas "Sombras Astralinas"?


Trata-se de um texto cheio de informações que será publicado na secção de vampirismo por relatar seres vampíricos que no caso possuem vida artificial. Esse conteúdo será publicado em partes. Esta será a primeira parte da informação.


As Sombras no Astral - Formas-Pensamento

A dimensão extrafísica é a base existencial, o plano espiritual de onde viemos e para onde iremos. É comum as pessoas pensarem que a dimensão astral é um reflexo das ocorrências energéticas e espirituais da dimensão física. Contudo, não é assim que as dimensões se relacionam. Elas não partilham uma relação de dependência. Ao contrário! Elas são independentes umas das outras.
Tendo em vista uma melhor compreensão, imagina uma chapa quente e um pouco de água como duas dimensões independentes. Apesar de uma não depender da outra, se entrarem em contato ocorre uma reação da qual provêm determinadas consequências. Compreender a relação entre as dimensões física e extrafísica é fundamental para estudar os espíritos que habitam os cantos mais escuros do Umbral e a forma como eles lidam com os espíritos encarnados e desencarnados.

Durante séculos, o Homem tem sido acompanhado por seres vivos de uma escala evolutiva inferior como baratas, cobras, aranhas, entre outros. Através da experiência, o Homem atribuiu a esses seres o título de pestes, coisas nojentas e repugnantes capazes de causar perigo e consequentemente perturbação de natureza aterrorizante aos seres humanos. Desta forma, sempre que uma pessoa sente medo ou nojo com intensidade, ela mentaliza e sente aquele sentimento, plasmando baratas, cobras, aranhas, ou seja, seres que se identifiquem com o medo e a vibração da mente. Esses seres tornaram-se convencionais em caso de medo e nojo pela consciência ou memória popular.
Então, quando sentimos medo e a nossa mente vibra na frequência inferior correspondente, plasmamos seres vivos, baratas, cobras, aranhas, escorpiões que possuem vida. É um nascimento espiritual que vem do nosso espírito.

Esses seres têm vida própria, contudo é uma vida artificial. Eles recebem um pouco do nosso tônus vital ao serem plasmados e depois sentem a necessidade de absorver mais tônus vital para que continuem vivos (a vida artificial é fornecida na criação mas não é interminável). Assim, as baratas, as formigas, as aranhas, os escorpiões se acoplam no nosso campo áurico, alimentando o nosso medo ou nojo para se nutrirem da energia que gastaremos com o crescimento e continuação da emoção que lhes fez existir. Por isso, a aura das pessoas possuem muitas vezes formas-pensamento parasitárias que executam uma atividade vampírica. O Umbral está cheio de formas-pensamento que se acoplam a aura de um hospedeiro. Quando o hospedeiro deixa de viver a emoção induzida pelos parasitas, quer sejam formas-pensamento ou espíritos viciados e perdidos (encostos ou vampiros), ele é abandonado e o parasita se acopla na aura de outro espírito que possua energias que possam ser roubadas.

Há outros níveis de relação entre parasitas e formas-pensamento (insetos astrais) que antecedem a relação parasitária. Não é do interesse do parasita prejudicar ou matar o seu hospedeiro, pois é dele que o parasita extrai o seu alimento. Porém, os danos causados pelo vampirismo são enormes e incalculáveis. As formas-pensamento se concentram nos chakras, orgãos espirituais energéticos, tornando a obsessão e o vampirismo mais proveitosos. Se entrarmos em cantos mais escuros e profundos do Umbral encontraremos quiumbas e escravos espirituais mergulhados em uma lama astralina que é uma espécie de areia movediça que só prende os corpos, sem os engolir. Esses espíritos gritam de dor e sofrimento. Os espíritos vampiros são responsáveis por processos de obsessão simples. Eles induzem outros espíritos a viver uma emoção e roubam o momento da pessoa, retirando dela energia (nutrição vampírica parasitária). Inicialmente, o vampiro ou encosto se aproxima da vítima amigavelmente, partilhando as mesmas emoções. Depois, induz a vítima a sentir emoções específicas que iniciam a absorção de energia. A depressão, a tristeza e o vazio sem motivo são alguns efeitos do começo de uma obsessão vampírica. Uma vez que a absorção de energia alheia começa, forma-se uma simbiose, na qual ambos os espíritos beneficiam da relação. A partir da simbiose, pode surgir a relação parasitária caso uma das partes obtenha vantagem sobre a outra. Os espíritos obsessores que atuam como vampiros são responsáveis por obsessões simples e são controlados, mesmos sem saber, por assediadores inteligentes que comandam toda a corrupção e a decadência dos espíritos no mundo espiritual. São apenas ferramentas para espíritos assediadores extremamente inteligentes que sugam energias por intermédio de vários sugadores energéticos.

O erro mais frequente é separarmos a dimensão extrafísica da dimensão física sem considerar as reações existentes entre elas. Os vampiros existem tanto do lado de lá como da lado cá. Se você pesquisar sobre comunidades de vampiros, verificará que eles existem e não se escondem. São espíritos encarnados cheios de parasitas e encostos que sentem fraqueza energética e procuram absorver essa energia que lhes falta roubando de outros espíritos encarnados. Um vampiro é um espírito com deficiência de auto-produção energética. Quando estão sob o efeito de parasitas, entram em um ciclo viciante: os parasitas e encostos se nutrem da energia do espírito fazendo ele se sentir fraco. Ele por sua vez absorve/ suga energia de outros espíritos encarnados que sentem tristeza, fraqueza, depressão, etc. Parte da energia roubada nutre os parasitas e encostos do vampiro encarnado e o resto - que é pouco - alimenta a fome e sede do vampiro encarnado por mais energia, tônus vital. Então ele volta a drenar energia de outros espíritos encarnados. Assim se forma o ciclo viciante dos vampiros.

O vampirismo é sério e não um brinquedo para os fascinados em histórias de vampiros lendários. Não brinque com drenagens energéticas, nem conserve pensamentos de baixa vibração.


A segunda parte de "Sombras Astralinas", trará mais informações e detalhes sobre as relações e hierarquias do Umbral, zonas densas do plano astral ou emocional.

Recomendo o livro "Legião" do Robson Pinheiro para a obtenção de mais informação detalhada.

Se quiser acrescentar alguma coisa ou partilhar uma experiência, pode nos enviar um email para conscienciastral@gmail.com, indicando o nome, a idade e a localização (se quiser ocultar a idade e/ ou a localização, por favor manifestar o seu desejo na mensagem).


Muita luz, paz e amor!

Rafael.
____________________________

Instituto de Desenvolvimento Conscienciológico e Manifestação Espiritual Expressiva (IDCMEE)

Templo dos Espíritos (TE) - Consciência Astral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja um membro registrado do IDCMEE!

Namastê!

Quer participar da Comunidade Consciência Astral/ IDCMEE/ TE em tempo real?

Registre-se na nossa comunidade!

Faça parte do Templo dos Espíritos!

Saiba mais sobre ser um membro registrado.

Novidades no Email!

Namastê caros leitores!

Se estiverem interessados em receber um email avisando sobre as atualizações do IDCMEE (novos textos, mensagens, informações, categorias, etc), por favor envie um email para conscienciastral@gmail.com e passará a receber as novidades diretamente na sua caixa de entrada.

Torne-se um colaborador/ colunista fixo do IDCMEE! Saiba mais clicando aqui!

Obrigado pela sua atenção.

IDCMEE.